História Sem Fim - PARTE 8

Continuando a historia do Arquicomics...

Pessoal parece que o ex-estagiário está em uma maré de azar hein, além de ter que lidar com a polícia por causa da CNH falsa, tem que se explicar com os pais, quando estes (assinantes do Jonal local Sedex Cangando) viram seu nome estampado em uma reportagem sobre o escândalo no restaurante Infront...

Fotografia tirada no restaurante Infront

01 - Tipo documetal: Fotografia.
01.1 - Denominação: Fotografia.
01.2 - Definição: Imagem criada por meio de exposição luminosa, fixada em superfície sensível que registra a imagem da briga da secretária com a ex-chefe do ex-estagiário.
01.3 - Código: -
01.4 - Características externas:
Gênero:  imagético.
Suporte: Material fotográfico.
Formato: Fotofrafia (-).
Forma: Original múltiplo.
02. - Órgão produtor: Editora Março e jornal local Sedex Candango
03. - Destinatário: Público em geral, de preferência assinantes da editora e jornal.
04. - Legislação: -
05. - Trâmite: Registro fotográfico para guarda, sobre acontecimento no restaurante Infront, posterior venda e disponibilização nos meios de comunicação (editora Março e Jornal local Sedex Cangando).
05.1 - Incidências: -
06 - Documentos básicos que compõe o trâmite: Fotografia que compõe a reportagem sobre a briga no restaurante Infront, tendo como pivô o famoso ex-estagiário.
07 - Ordenação da série: -
08 - Conteúdo: Acontecimento no âmbito do restaurante Infront, tendo como pivô o famoso ex-estagiário.
09 - Vigência Administrativa: -
10 - Destinação: Guarda Permanente para o pobre ex-estagiário que nunca imaginou que duas mulheres iriam brigar por ele um dia.
11 - Acesso: Público em geral, de preferência assinantes da editora e jornal.
12. Descrição: registra a briga da secretária com a ex-chefe do ex-estagiário.
13. Entidade Emissora: Garçom do restaurante Infront
14. Entidade Receptora: público em geral

Análise Diplomática:
Documento autêntico e verídico
O documento possui autenticidade legal (possui valor legal, exerce função de prova), diplomática (possui estruturas intrínsecas e extrínsecas de acordo com que o documento precisa ter) e histórica (o fato registrado realmente aconteceu).
.
.
.
Para nós a pior parte dessa fase do rapaz não foi nem conversar com os pais (o pai entendeu a necessidade do filho), mas o problema que ele arrumou quando todas as revistas publicaram o escândalo envolvendo o pobre coitato que só queria se dar bem por uma noite.
A história continuou da seguinte maneira:

Com todo aquele barraco formado, o estagiário viu que o policial, apesar de grande fã, nem ligou para o suborno (o pequeno autógrafo) que o ex-estagiário lhe dera. O policial acabou levando-o para a delegacia para responder o crime de falsidade ideológica.

Depois de pagar fiança com os últimos centavos que lhe restara, depois de ter pago a falsa CNH, o motel e o restaurante, o estagiário foi para casa responder o processo em liberdade. Como foi dito anteriormente, no geral os pais dele entenderam a situação (é claro que ele não contou do sonífero no suco) e o pai, ao ver a foto da secretária no jornal, teve o maior orgulho do filho.

O dia do julgamento chegou e o juiz decretou a sentença: Deverá prestar serviços comunitários durante 3 meses em uma empresa que faz reciclagem de papel (Olha o nosso tema aí gente!). Apesar de ter ficado muito P da vida com a sentença, ele se deu por aliviado devido a pena leve que o juiz lhe decretou.

No seu primeiro dia de trabalho o estagiário é recebido pela coordenadora do projeto, e para a sua surpresa, ela é a Mulher Ciriguela, do reality show que ele havia participado. Como os dois tinham milhares de assuntos em comum, foi natural o surgimento de um clima entre os dois.

No término do primeiro dia os dois decidem se encontrar longe do local de trabalho. Como o estagiário não tinha celular, nossa querida Mulher Ciriguela anotou seu número em um panfleto que a ONG distribuía:




A continuação da história com o encontro entre o estagiário e a mulher Ciriguela e a análise do panfleto você encontra no Aurquivo bom pra cachorro.
Quem será o produtor do documento? Qual será sua função? E a final, o que é o documento???

Não percam o próximo episódio com o blog Aurquivo!!!

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

TEDx Amazônia

Teaser do TEDx Amazônia

O TEDx é um evento que ocorre em várias cidades do mundo. Esse ano ele ocorreu na Amazônia em novembro. É uma espécie de conferência que reuni vários pensadores das mais diversas áreas do conhecimento para discutir soluções para melhorar a qualidade de vida das pessoas e das mais de 50 milhões de espécies de vida que existem no planeta.
O projeto desse ano discutiu várias maneiras de como a população que vive ao longo da floresta amazônica pode utilizar a floresta de modo sustentável para sobreviver e gerar empregos. Ações como o ecoturismo, comércio legalizado de produtos da amazônia e a pesca esportiva podem trazer mais dinheiro para essa população do que o simples extrativismo inconseqüente. Viva a Sustentabilidade!

Visitem o site: http://www.tedxamazonia.com.br

Ass.: RODRIGO  LIMA

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Manipulação do Relatório do IPCC

Fala Galera!!!


Essa semana eu estava pensando no que postar no blog que tivesse a ver tanto com nosso tema: Sustentabilidade, quanto com a disciplina de Diplomática e Tipologia Documental, daí me veio a cabeça um post do blog da Rosana Jatobá que eu havia lido há alguns meses. Esse post falava sobre uma cirurgia que ela havia passado e também sobre uma discussão que ela teve com o sogro dela a respeito do aquecimento global. Acesse o post aqui 

Nessa discussão Rosana Jatobá defendia os ambientalistas e seu sogro a confrontava, mas os dois se embasavam o tempo todo. Em certa hora do diálogo Rosana menciona, segundo ela, "o mais extenso e completo documento sobre as mudanças climáticas, o IPCC", e é nessa hora, meus amigos, que entra nossa questão Diplomática/Ambientalista! O sogro de Jatobá rebate seu argumento com a seguinte afirmação: "- Relatório manipulado para atender a grupos interessados nas polpudas quantias destinadas às pesquisas do clima!" e continua: " - Como eu posso acreditar que os modelos climáticos acertarão as previsões para daqui a 50 ou 100 anos,  se eles não conseguem dar conta de eventos de curto prazo?" e ainda finaliza dizendo assim: "- Em meados do século dezenove, quando mal se ouvia o barulho do motor,  a concentração de CO2 chegou a superar 500 ppm.   E nós estamos aqui pra contar a história…"

Galera... Eu me lembro que fiquei com aquilo martelando na minha cabeça por vários dias. Como um relatório dessa grandeza e importância poderia ter sido manipulado? Será que a afirmação do sogro da Rosana tinha fundamento? Daí fui no nosso querido oráculo Google para pesquisar... Primeiro vou contextualizar. IPCC, para quem ainda não ouviu falar, é a sigla de Intergovernmental Panel on Climate Change e segundo reportagem do portal Terra (disponível aqui): 

"O Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC, na sigla em inglês) é um órgão composto por delegações de 130 governos para prover avaliações regulares sobre a mudança climática. Nasceu em 1988, da percepção de que a ação humana poderia estar exercendo uma forte influência sobre o clima do planeta e que é necessário acompanhar esse processo."

Ainda me embasando na reportagem do portal Terra, em 2007 o IPCC se tornou uma referência nas discussões sobre as mudanças climáticas e seguindo as informações desse órgão a ONU (Organização das Nações Unidas) divulgou quatro capítulos de um relatório sobre o aquecimento global, documento que Rosana Jatobá se referia.

Bem, na minha pesquisa sobre as fraudes nesse relatório cheguei em uma reportagem da revista Veja (disponível aqui) cujo título é: "O dogma derrete antes das geleiras". Essa reportagem reafirma o que o sogro da Rosana havia dito sobre as manipulações. Veja um trecho dela:


"Descobriu-se que muitas das pesquisas que dão sustentação aos relatórios emitidos pelo IPCC não passam de especulação sem base científica. Pior que isso: os cientistas que conduzem esses estudos manipularam dados para amparar suas conclusões."


Meus amigos, que safadeza!!! Hoje em dia a gente pode acreditar em que? Meus colegas do Papel Noel, acho que eu vou me juntar a vocês para organizar o arquivo do Papai Noel!!!


 A reportagem da Veja ainda aponta esse cientista, Phil Jones, da foto ao lado, como um dos cientistas que admitiram ter manipulado dados do relatório. Phil, depois de admitir a manipulação, ainda afirma que desde 1995 o planeta não tem sofrido aquecimento algum.


Depois de todas essas informações fiquei pensando em duas coisas: primeiro, se um relatório dessa magnitude, elaborado por cientistas renomados e por um órgão representante de 130 países junto com a ONU, tem suas informações manipuladas, quantas informações nós julgamos verdadeiras e na verdade são meras mentiras para obter algum tipo de lucro? E, segundo, (puxando pro lado da Diplomática) cadê a veracidade desse documento? Autêntico, mas inverídico?


O que vocês acham galera? Opinem! Quem tiver mais informações a respeito do assunto, por favor me mandem! Um abração pra todos!


Ass. RODRIGO LIMA

Fontes: Revista Veja
            Portal Terra
            G1 Rosana Jatobá

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Atividade dos Conceitos

O nosso conceito de PRESERVAÇÃO

Depois de pesquisar vários conceitos de autores diferentes sobre preservação, chegamos a esta definição:

PRESERVAÇÃO – conjunto de atividades que têm por objetivo diminuir os possíveis danos que os documentos podem ter e, assim, aumentar a vida útil dos mesmos, para isso são utilizados procedimentos para o melhor gerenciamento dos documentos. Esses procedimentos incluem a manutenção de aparelhos que regulam as condições físicas, químicas e ambientais dos documentos, manuseio, armazenamento, transporte e exposição dos mesmos.
 

Nossa experiência com a Atividade dos Conceitos

Dessa vez a atividade é : postar, no próprio blog, a experiência de como foi a realização da Atividade dos Conceitos.

 

 

A atividade dos conceitos foi bastante válida e nos instigou a procurar meios diferentes para achar os conceitos. No começo foi mais fácil, com o passar das semanas foi se tornando mais difícil, mas foi ótimo, pois conseguimos conhecer alguns teóricos que falam sobre o assunto, o que pode servir de referência para os próximos trabalhos que tenhamos que desenvolver. Também pudemos observar as diferenças nas definições dos diversos autores.



Atividade dos Conceitos


Fala Galera!

Bem, como explicamos no nosso primeiro post, nosso blog foi criado recentemente porque o primeiro grupo se separou. Por esse motivo a partir dessa semana nosso conceito também mudou, agora será: PRESERVAÇÃO. E aí vão mais três:

14/01

É o conjunto de medidas e estratégias de ordem administrativa, política e operacional que contribuem direta ou indiretamente para a proteção do patrimônio. (COSTA, Marilene Fragas. Noções básicas de preservação e conservação preventiva de documentos. Centro de Informação Científica e Tecnológica Biblioteca de Manguinhos - Laboratório de Conservação Preventiva de Documentos. 2003)

Conservação - é um conceito amplo e pode ser pensado como termo que abrange pelo menos três (3) idéias: preservação, proteção e manutenção.
Conservar bens culturais (livros, documentos, objetos de arte, etc) é defendê-lo da ação dos agentes físicos, químicos e biológicos que os atacam.
O principal objetivo portanto da conservação é o de estender a vida útil dos materiais, dando aos mesmos o tratamento correto. Para isso é necessário permanente fiscalização das condições ambientais, manuseio e armazenamento.
A preservação ocupa-se diretamente com o patrimônio cultural consistindo na conservação desses patrimônios em seus estados atuais. Por isso, devem ser impedidos quaisquer danos e destruição causadas pela umidade, por agentes químicos e por todos os tipos de pragas e de microorganismo. A manutenção, a limpeza periódica é a base da prevenção.
(CEDOC. Conservação/preservação de documentos. Disponível em: <http://vsites.unb.br/cedoc/conservacao.htm>. Acesso em: 08/01/2011)

Damos o nome de PRESERVAÇÃO ao conjunto de atividades - de cunho institucional - que incluem o gerenciamento do acervo no que diz respeito ao acesso e manipulação por parte de usuários, pesquisadores e funcionários; a guarda dos documentos; a manutenção das condições físicas e ambientais do edifício e do espaço de armazenamento; e o desenvolvimento de programas de investimento, etc. (Associação Brasileira de Tecnologia Gráfica. Preservação de documentos em papel - ciência e técnica a serviço da história. Disponível em: <http://www.abtg.org.br/index.php?option=com_content&task=view&id=257&Itemid=47>. Acesso em: 11/01/2011)


07/01


"Conjunto de medidas e estratégias de ordem administrativa, política e operacional que contribuem directa ou indirectamente para a preservação da integridade dos materiais."
(CASSARES, N. C.; MOI, C. Como fazer conservação preventiva em arquivos e bibliotecas. São Paulo : Arquivo do Estado: Imprensa Oficial, 2000.)

uma consciência, mentalidade, política (individual ou coletiva, particular ou institucional) com o objetivo de proteger e salvaguardar o Patrimônio. Resguardar o bem cultural, prevenindo possíveis malefícios e proporcionando a este condições adequadas de “saúde”. É o controle ambiental, composto por técnicas preventivas que envolvam o manuseio, acondicionamento, transporte e exposição."
(SÁ, Ivan Coelho de. Oficina de Conservação Preventiva de Acervos. Porto Alegre, Museu
Militar, CMS, 2001)

"Conjunto de medidas de gestão tendentes a neutralizar potenciais fatores de degradação dos bens culturais."
(SOARES, Talita de Almeida Telemberg. Manual de Conservação de acervos documentais e noções de restauração de documentos: Arquivo Público do Estado de Santa Catarina/Associação de Amigos do Arquivo Público/ SC, 1997.)

17/12

"Prevenção da deterioração e danos em documentos, por meio de adequado controle ambiental e/ou tratamento físico e/ou químico."
(Dicionário Brasileiro de terminologia arquivística, 2005, p. 135)

"Conservação: Ato ou efeito de promover a preservação e a restauração dos documentos."
(Dicionário Brasileiro de terminologia arquivística, 2005, p. 45)

"Preservação é o agir sob procedimentos que levam ao retardamento ou à prevenção de deterioração ou dos estragos nos documentos. No caso do suporte em papel, isso ocorre por intermédio do controle do meio ambiente, das estruturas físicas e dos acondicionamentos que possam mantê-lo numa situação de guarda estável."
SILVA, Iara Jurema Quintela Moreira da. A importância da conservação, preservação e restauração e os acervos bibliográficos e documentais em saúde coletiva. In: Bol. da Saúde, v. 15, n. 1, 2001, p. 29-36. Disponível em: <http://www.esp.rs.gov.br/img2/v15n1_04importancia.pdf>. Acesso: 13 dezembro 2010.

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Papai Noel verde

Fazendo uma brincadeirinha com o tema do blog amigo Papel Noel, apresentamos para vocês o nosso bom velhinho, ambientalmente correto!


Análise


Suporte: eletrônico
Gênero: textual, imagético
Idioma: português
espécie: imagem
Forma: original
Formato: ilustração
Descrição: imagem do Papai Noel na versão ambiental, para ilustrar o novo game da superinteressante.

Descrição: É um documento de arquivo permanente para o escritor e editora. Tem a função de ilustrar a capa do livro. 
Entidade Produtora: Editora
Entidade Receptora: interessados
Análise diplomática
Documento autêntico
Nesse game você pode traçar as características da pessoa para quem você quer dar um presente, e de acordo com essas características é possível descobrir os melhores presentes sustentáveis.

Divirtam-se!

Ass. Fernanda Cândido

Análise Tipológica

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

rtve X funarte


 Fala Galera!!!

O blog mãe resolveu dar um "plus" na tarefa sobre o projeto: Brasil Memória das Artes (acesse a tarefa aqui) e (acesse o site do projeto aqui). Para isso a gente teria que comparar a organização da documentação da funarte com a da rtve, uma rede de TV espanhola (acesse o site da rtve aqui).

E aqui vamos nós de novo! 

O projeto "Brasil  Memória das Artes" tem a intenção de digitalizar vários documentos de seu acervo e disponibilizá-los na internet para quem se interessar e o site da rtve fez algo parecido: disponibilizou na web várias fotografias, vídeos, documentários e reportagens sobre as séries e programas de tv que fizeram parte da história da emissora.
A principal diferença entre os dois sites é a contextualização da sua documentação. Todo o acervo da rtve  possui  informações como: descrição, data, produtores e participantes, além disso o agrupamento dos documentos é bem realizado. Tais dados fazem total diferença na hora da classificação e na hora da recuperação da informação  e é exatamente isso o que deixa a desejar no site do projeto da funarte. A busca no site da rtve se torna muito mais fácil por possuir essas informações, diferente do que acontece no site da funarte que agrupa uma documentação sem um critério eficiente desconsiderando datas e misturando acervos de salas, personagens importantes e atividades, exemplo: acervo Sala funarte, Cenário e Figurino, Nelson Rodrigues e Discos Projeto Almirante. Dessa forma um mesmo documento pode fazer parte de vários acervos, dificultando e muito a vida de um pesquisador.

Isso é tudo galera!!! Té mais!

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

Archivos Fotográficos

Fala galera!!!

Mais uma atividade do blog mãe!
A tarefa consiste em:
Fazer a análise tipológica e diplomática das duas fotos presentes na capa, da capa do livro e do próprio livro.



E aqui vai:


Fotos da Capa do Livro

Análise Tipológica
Forma: Original múltipla
Idioma: -
Suporte: Papel
Gênero: Imagético
Espécie: fotografia
Formato: -
Descrição: É um documento de arquivo permanente para o escritor e editora. Tem a função de ilustrar a capa do livro. 

Entidade Produtora: Editora
Entidade Receptora: interessados
Análise diplomática
Documento autêntico e verídico

 
Capa do Livro
Análise tipológica
Forma: Original múltipla
Idioma: Espanhol
Suporte: Papel
Gênero: textual e imagético
Espécie: capa
Formato:
Descrição: Tem a função de apresentar o livro. 
Entidade Produtora: Editora
Entidade Receptora: interessados

Análise diplomática
Documento autêntico e verídico


Livro
Análise Tipológica
Forma: Original múltipla
Idioma: Espanhol
Suporte: Papel
Gênero: textual e imagético
Espécie: livro
Formato:
Edição: 1ª. 
Número de páginas: 156
Descrição: É um documento de arquivo permanente para o escritor e editora. Constitui um trabalho científico.
Entidade Produtora: Editora
Entidade Receptora: interessados

Análise diplomática
Documento autêntico e verídico

Contextualização:

Começando pelas fotografias da capa, podemos pensar em alguns contextos. A foto pode ter sido usada simplesmente para ilustrar a capa, já que o tema do livro tem a ver com fotografias, sem nenhuma intenção adicional, pode ter sido usada com a intenção de contextualizar, fazer um link entre a fotografia e a imagem do computador, pois o livro é justamente sobre a integração entre o digital e os arquivos fotográficos. Mas olhando as fotografias como objeto separado, talvez elas sejam simples recordações de infância e de alguma reunião de grupo para quem estava retratado nela ou para quem a guardou (autores do livro, parentes, etc.).

A capa do livro com certeza foi pensada como material de marketing, usada para atrair leitores e de certa forma ilustrando o conteúdo do livro, isso para quem vende o livro, ou seja, a editora, local onde faria parte de um acervo de obras. Para o escritor a capa do livro representa a memória de um trabalho realizado e faria parte de um acervo pessoal. E para o profissional que a fez, a capa é o registro de um trabalho.

O livro em si é o objeto de trabalho da editora e do escritor, posteriormente pode ser utilizado como memória de um período tanto pela editora quanto pelo escritor. Para quem compra a obra, o livro tem a função primeira de atender a necessidade do comprador (curiosidade acerca do tema, necessidade de trabalho, cultura geral) e depois o livro pode ganhar um valor secundário. Ele pode ser guardado como objeto de lembrança, apoio para mesa, abanador...

É isso galera! Com certeza teremos mais tarefas! Até a próxima.

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

ATIVIDADE DOS CONCEITOS

ORGANICIDADE

1- “Relação natural entre documentos de um arquivo(1) em decorrência das atividades da entidade produtora.”
Arquivo(1) - Instituição ou serviço que tem por finalidade a custódia, o processamento técnico, a conservação e o acesso(1) a documentos.
(Dicionário Brasileiro de terminologia arquivística, 2005, p. 127)

2 - “Organicidade é a qualidade segundo a qual os arquivos refletem  a estrutura, funções e atividades da entidade produtora, acumuladora em suas  relações internas e externas” 
BELLOTTO, Heloísa Liberalli. Arquivos permanentes: tratamento documental. 3ª ed., Rio de Janeiro: Editora FGV, 2005.

3 - “Atributo de um acervo documental decorrente da existência de relação orgânica entre seus documentos. Essencial para que um determinado conjunto de documentos seja considerado um arquivo. (F) organicité; (E) organicidad. Ver também: Relação orgânica”. 
(CONARQ / Câmara Técnica de Documentos Eletrônicos – CTDE; Glossário: versão 5.1 / março de 2010. p 18-19)

4 - "Informação orgânica é a que foi elaborada, expedida ou recebida no âmbito da missão de um organismo."
ROUSSEAU, Jean-Yves; COUTURE, Carol. Os fundamentos da Disciplina Arquivística. Lisboa: Dom Quixote, 1998.

5 - "Organicidade - Se um arquivo é formado por um conjunto de documentos que se originam de ações articuladas em prol da missão de uma entidade, tem-se que ele resulta em um todo orgânico cujas partes são inter-relacionadas de modo a fornecer o sentido do conjunto."
DURANTI, Luciana . Registros Documentais Contemporâneos como Provas de Ação. Estudos Históricos. Rio de Janeiro: UFRJ, v. 7, n.13, p.49-64, 1994

6 -  "Organicidade: relativo a tudo que é orgânico, biológico; forma de ameba, circular, irregular; fragilidade."
Dicionário Informal. Disponível em: http://www.dicionarioinformal.com.br/buscar.php?palavra=organicidade. Acesso em: 09/10/2010.

7 - “Organismo - é o conjunto de pessoas que tem como finalidade a realização de objetivos comuns ligados a uma mesma missão, que esta seja pública ou privada, e que pode ser considerada pessoa moral”.
ROUSSEAU, Jean-Yves; COUTURE, Carol. Os fundamentos da Disciplina Arquivística. Lisboa: Dom Quixote, 1998.

8 - "Orgânico: Arraigado."
Dicionário Priberam. Disponível em: http://www.priberam.pt/dlpo/definir_resultados.aspx?pal=org%E2nico. Acesso em: 09/10/2010.

9 - "Princípio da Organicidade: As relações administrativas orgânicas se refletem nos conjuntos documentais. A organicidade é a qualidade segundo a qual os arquivos espelham a estrutura, funções e atividades da entidade produtora/acumuladora em suas relações internas e externas."
Tecnolegis. Teoria Arquivistica - Princípios e conteitos. disponível em: http://www.tecnolegis.com/estudo-dirigido/tecnico-mpu-administrativa/arquivologia-conceito.html. Acesso em: 09/10/2010.

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

QUARTA SUSTENTÁVEL



Palestra "Quarta Sustentável"

Tema: Acordos Internacionais de Biodiversidade e Clima: Avanços e Desafios das Conferências de Nagoya e Cancún
Sob a coordenação dos Doutores Saulo Rodrigues Filho e Donald Sawyer
Palestrante: Izabella Teixeira (Ministra do Meio Ambiente)
Data: 15 de dezembro de 2010
Horário: 18:15 hs
Local: Campus da UnB, Auditório Central do CET

Fonte: http://www.unbcds.pro.br/pub/?CODE=01&COD=8&X=1085





Ass. Fernanda Cândido


  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

PAPEL - HISTÓRIA E EVOLUÇÃO



           O termo papel vem do latim papyrus, que tem relação com o papiro, planta encontrada nas margens do rio Nilo, usada para fazer cordas, barcos e folhas para a escrita. Antes do papel os registros eram feitos em tabuinhas de argila e depois em pergaminhos (couro de bovinos).
            O papel foi inventado em 105 d.c, por T’sai Lun, com uma mistura com produtos que tivessem fibras vegetais (casca de amoeira, cânhamo, restos de roupas, entre outros). Fez da mistura uma massa batida, peneirou e colocou a camada ao sol e depois de seca, estava pronta. A técnica, conhecida por poucos dava bastante lucro. 500 anos depois o papel foi conhecido pelos japoneses, por meio de monges budistas que passaram pelo país.
            Até 751 d.c. os Chineses detinham a técnica de fabricação do papel, mas após a derrota em uma guerra contra árabes, perdeu o monopólio da tecnologia. Tempos depois, mouros invadiram a Europa e disseminaram cultura e tecnologia. Foi aí que os espanhóis conheceram a técnica e mais uma de suas aperfeiçoações, a dobradura de papeis, conhecida como papiroflexia(conheça mais aqui: http://www.papiroflexia.net/).
           Hoje podemos ver que a tecnologia de fabricação de papel já passou por vários lugares e possibilitou a transformação e aperfeiçoamento do produto.
O papel é o principal material de suporte de registros, antes visto como um produto renovável, hoje sua produção é vista como inimiga do meio ambiente, pois é feito da celulose, proveniente das árvores, e sua produção causa vários impactos (destruição da fauna e flora nativas, perda da biodiversidade).
A reciclagem do papel é um procedimento que tende a minimizar os problemas relacionados ao papel novo (impactos ao meio ambiente), procurando recuperar as fibras de celulose, mas sempre há perda das propriedades (qualidade) do papel. A resistência do papel se dá pelas fibras que se cruzam formando a estrutura do mesmo, essas fibras têm características diferentes (fibras longas, curtas) dependendo da árvore que é utilizada em sua produção. Devido a essas características o papel branco é mais caro e sua reciclagem torna as fibras mais curtas, ficando mais fracas, menos resistentes. Quando se recicla muitas vezes o mesmo papel é preciso colocar um pouco de fibras virgens para aumentar a resistência. O pigmento do papel também influencia em sua reciclagem, uma vez que o processo químico de pigmentação torna mais difícil a reciclagem.
O ideal seria que os papeis não fossem muito brancos, já que muitas vezes são usados para atividades simples, em nem cheios de pigmentos coloridos (embalagens).

Economia feita com reciclagem:
1000kg de papel reciclado = 20 árvores poupadas
1000kg de papel reciclado = 2000L água
1000kg de papel não reciclado = 100.000L água

Pode reciclar
Não pode reciclar
Caixas de Papelão
Papéis sanitários
Jornal
Papeis plastificados
Impressos em geral
Papeis metalizados
Fotocópias
Papeis parafinados
Rascunhos
Copos descartáveis de papel
Envelopes
Papel carbono
Papeis timbrados
Fotografias
Cartões
Fitas adesivas
Papel de fax
Etiquetas adesivas

         Vamos nos conscientizar e fazer a separação do lixo selecionando os papeis que podem ou não ser reciclados, lembrando que se o papel estiver com materiais que não podem ser separados dele, este papel deve ser eliminado da reciclagem.


Referências:




Ass. Fernanda Cândido


  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS






Blog da disciplina Diplomática e Tipologia Documental, ministrada pelo professor André Lopez, cuja temática é sustentabilidade e meio ambiente. Além de trazer postagens sobre os temas mencionados, o site será utilizado para realizar tarefas da disciplina, desafios e o trabalho final.